SOMENTE COM O BAGAÇO E NO PRIMEIRO SEMESTRE, SETOR REPRESENTA UMA FLORESTA COM 20 MILHÕES DE ÁRVORES

Quantidade de energia vinda do subproduto da cana evita a emissão de 2,8 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera

A Unica (União das Indústrias de cana-de-açúcar) divulgou nessa terça-feira (18) o relatório “Bioeletricidade em números – agosto/2020” o qual traz um resumo do desempenho do setor dentro do mundo da geração de energia.

O documento apresenta que no primeiro semestre foi ofertado para a rede 8.399 GWh gerados a partir da queima do bagaço da cana (alta de 5% em relação a igual período do ano passado), marca que evitou a emissão de 2,8 milhões de toneladas de CO2 no ambiente, o que representa o cultivo de 20 milhões de árvores nativas ao longo de 20 anos.

Essa produção foi conquistada pelas 406 usinas termelétricas em operação comercial no Brasil hoje, tendo uma capacidade instalada de 11.659 MW, o que pode ser traduzido em números maiores que a usina de Belo Monte ou 7% de toda a potência outorgada no Brasil.

Como ainda há um potencial enorme de crescimento, em primeiro lugar por aumento da capacidade de geração através da atualização e ampliação da capacidade instalada e principalmente com a entrada do biogás, o setor deverá elevar num médio prazo sua influência na geração de energia elétrica no país.

Fonte: Revista Canavieiros

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3