O BRASIL NÃO SAIU DO B11, MAS JÁ TERÁ BIODIESEL MELHOR ATÉ PARA O B20, SEM PRAZO DE VIGÊNCIA

Os produtores de biodiesel estão procurando se antecipar e colocar no mercado um produto com mais elevado grau de qualidade, evitando, assim, qualquer crítica que venha a ser feita – especialmente pelas montadoras – quando da implementação do B20.

O setor já considera que o biodiesel brasileiro já possui especificações técnicas mais rigorosas do que o consumido na Europa e Estados Unidos.

A mistura de 20% no diesel ainda não tem prazo definido pela Agência Nacional de Petroléo, Gás e Biocombustível (ANP) – atualmente está aprovada o B11 e o B15 deve entrar em vigor até 2023 –

O presidente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Juan Diego Ferrés, garantiu que o caminho está alicerçado para novos avanços. “As indústrias estão investindo em ampliações que vão aumentar a capacidade de oferta de biodiesel para o mercado nacional, além da melhoria nas especificação do biodiesel que aumentou a durabilidade do produto, garantido maior qualidade ao consumidor”, diz.

Com o consumo de 5,5 bilhões de litros anuais de biodiesel, o Brasil é vice-líder ao lado da Indonésia, mas o arquipélago asiático, com muito menos volume e variedade de matéria-prima para ser transformadas em biodiesel, está prestes a ser o campeão de mitigação do efeito estufa com base nesse combustível.

O B20 lá começa em 2020.

Por Giovanni Lorenzon

Fonte: Money Times

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3