Números da Unica sustentam preços do açúcar no Brasil

A safra 2017/18 se encaminha para o final em meio a um mix de produção claramente mais voltado ao etanol
Os preços do açúcar subiram nesta semana nas principais praças do país, refletindo o relatório quinzenal da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), que apontou uma tendência de maior produção de etanol em detrimento do açúcar no Centro-Sul.
A safra 2017/18 se encaminha para o final em meio a um mix de produção claramente mais voltado ao etanol, que passou de 53% a 57% entre a segunda quinzena de setembro e a primeira de outubro.
“Além disto, muitas usinas buscaram neutralizar suas posições vendidas em açúcar na bolsa de Nova York com o objetivo de direcionar a cana que seria destinada ao açúcar para o atendimento destes contratos para a fabricação do etanol”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci.
O etanol tem remunerado entre 10% a 15% a mais que o açúcar de Nova York dentro da usina e entre 6% a 8% maior que o preço do açúcar no mercado físico.
Existe ainda uma pressão do real mais fraco frente ao dólar, o que deixa o açúcar brasileiro mais barato aos compradores externos, resultando no aumento da disponibilidade de oferta da commodtiy no mercado internacional.
UNICA
A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras na região Centro-Sul somou 32,41 milhões de toneladas nos primeiros 15 dias de outubro. Esse valor é praticamente idêntico às 32,19 milhões toneladas registradas no mesmo período da safra 2016/2017.

Os dados apurados revelam significativa reversão no mix de produção em prol do etanol. Com efeito, na primeira quinzena de outubro apenas 43,76% da matéria-prima foi utilizada na fabricação do açúcar, contra 46,53% verificados na segunda metade de setembro e 49,62% nos 15 primeiros dias de outubro de 2016.

Com isso, a produção quinzenal de açúcar apresentou queda de 12,28%, totalizando 1,98 milhão de toneladas na primeira metade de outubro deste ano ante 2,25 milhões de toneladas observadas na mesma data da safra passada.

Em sentido inverso, a produção de etanol cresceu 11,62%, alcançando 1,58 bilhão de litros no início de outubro. Deste total, 681,00 milhões de litros foram de etanol anidro e 895,21 milhões de litros de etanol hidratado.

Desde o início da safra 2017/2018 até 15 de outubro, a moagem acumulada segue abaixo daquela verificada em 2016: 499,60 milhões de toneladas, contra 508,44 milhões de toneladas no mesmo período do ciclo passado.

A produção acumulada de açúcar alcançou 31,21 milhões de toneladas até o final da primeira quinzena do mês. A fabricação de etanol, por sua vez, atingiu 21,02 bilhões de litros, com 9,08 bilhões de litros de etanol anidro e 11,94 bilhões de litros de etanol hidratado.


Dylan Della Pasqua


Fonte: Agência SAFRAS

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3