Por um canavial sem falhas

Tecnologia de replantio com mudas pré-brotadas resolve um problema que derruba o lucro do produtor
As falhas são um dos grandes problemas na formação de um canavial. Para o engenheiro agrônomo Dib Nunes, presidente do Grupo IDEA, a usina e o produtor de cana têm que centrar esforços para evitar a ocorrência de áreas com falhas, uma vez que levam embora parte da lucratividade do negócio.

Preocupada em ajudar o setor a superar este problema, a Syngenta tem estudado o replantio de falhas desde 2013. “Já trabalhamos muito sobre esta questão. Fizemos pesquisa com cana grande, cana pequena, falha grande, falha pequena, com enxada rotativa etc. O resultado é que formamos uma massa crítica sobre o tema. Reunimos um grande volume de dados e construímos protocolos a fim de possibilitarmos retorno interessante aos clientes”, diz Guilherme Moura, gerente de marketing e desenvolvimento de mercado do Plene, da Syngenta.

Moura frisa que, quando há grandes falhas no canavial, a cultura acaba não conseguindo compensar e a perda de produtividade será grande. “É aí que devemos trabalhar.”

A Syngenta acumulou conhecimento sobre o replantio de falhas e a revitalização de canaviais, desenvolvendo condições técnicas específicas para agir com eficiência sobre a lavoura falhada, levando em conta:

- Tamanho da falha;
- Estado de desenvolvimento da cultura;
- Época da revitalização.

“Essas três condições são mandatórias para ter revitalização de sucesso e obter retorno importante”, diz Moura, que relata ainda que a prioridade da usina e do produtor deve ser agir sobre o problema nas áreas com grande potencial, em cana-planta ou canaviais de segundo corte, ou em canas cultivadas em solos interessantes, que terão retorno de produtividade.

A Syngenta propõe o uso de mudas pré-brotadas, como da tecnologia Plene PB, para a cobertura das áreas com falhas. Independente da sigla, as variedades plantadas devem ter perfilhamento intenso e crescimento interessante. “Ela precisa crescer e ocupar os espaços falhados.”

Para realizar o levantamento das áreas com falhas, a Syngenta propõe o uso de vants, determinando o tamanho da falha e os locais que ocorre. Além disso, o preparo de solo da soqueira é bastante importante. “É impossível fazer replantio em soqueiras se você não fizer preparo adequado.”


Fonte: CanaOnline

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3