Em 10 anos, preço do litro do etanol mais que dobra

O litro de etanol nos postos de combustíveis custa mais que o dobro, atualmente, do que há dez anos. Levantamento do TODODIA com base em dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) indicou que, na comparação entre janeiro de 2007 e janeiro deste ano, a variação é de 102,94%, na região, acima da média do Estado de São Paulo, que, no período, foi de 99,27%.
O preço médio passou de R$ 1,36 para R$ 2,76. O custo está acima da inflação acumulada do período, de 82,62%, indicada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).
O levantamento considerou as 11 cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) que têm histórico de preço médio do etanol, em janeiro de 2007, disponível no site da ANP.
Em Americana, onde houve o maior aumento, o valor médio subiu de R$ 1,33, em janeiro de 2007, para R$ 2,85, em janeiro deste ano o que significou uma diferença de 114,29%. Nesse mesmo período, o custo também mais que dobrou em Campinas: foi de R$ 1,36 para R$ 2,80; aumento de 105,88%. Em seu arquivo, o TODODIA encontrou imagens de postos com preços abaixo de R$ 1 em 2007.
"O que determina o preço do etanol são alguns componentes, como preço do petróleo, do açúcar, a procura por combustíveis e as condições do País", resumiu o professor de economia Antonio Carlos Lobão, da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas.
O docente comentou que o valor do açúcar é definido pela taxa de câmbio. "Os produtores de cana podem escolher se vão produzir cana ou etanol. Se o dólar estiver com um preço melhor, a tendência é vender açúcar para o mercado externo, o que diminui a quantidade de produto nas bombas e pode aumentar o preço", considerou.
Das 11 cidades, quatro tiveram crescimento abaixo da média estadual.
São elas: Cosmópolis (97,78%); Hortolândia (95,56%); Paulínia (97,83%) e Valinhos (94,16%).
O frentista José Mario Ferreira dos Santos, 52, reclamou do preço do etanol e disse que o aumento pesou no seu bolso e o fez trocar de combustível.
"Não compensa abastecer com álcool. Hoje é melhor com gasolina, porque rende mais. O álcool é bom para usar na pista, mas quem vai andar em área urbana é melhor gasolina. Tem que fazer a conta do quilômetro por litro e ver o que compensa", resumiu Santos.


Fonte: Portal Tododia - Uol

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3