Setor sucroalcooleiro investe em sustentabilidade na lavoura de cana

Houve um tempo no qual o material resultante da produção agroindustrial era tratado como lixo. Hoje, os resíduos agroindustriais entram em um processo sustentável de ciclagem dos nutrientes que influencia na qualidade da produção agrícola, otimiza o uso dos recursos na lavoura, melhora o padrão de produção e enriquece os recursos naturais.

O engenheiro agrônomo Pedro Henrique de Cerqueira Luz, docente do departamento de Zootecnia da USP de Pirassununga (SP), explica que, usando técnicas de manejo de subprodutos da cana-de-açúcar, é possível economizar R$ 445 por hectare na fertilização de um canavial que produza entre 90 e 100 toneladas de cana por hectare. “Os sistemas de produção agrícola têm de procurar o caminho da eficiência com sustentabilidade, e nesse contexto o manejo da fertilidade do solo é fundamental”, opina.

Segundo Cerqueira Luz, há nove milhões hectares de cana-de-açúcar no Brasil. Destes, cerca de dois milhões utilizam resíduos sólidos e líquidos na fertilização. Ele explica que a técnica permite o uso de fertilizantes orgânicos, minerais e combinados com resultados positivos na produtividade da cana e ganhos tanto para o açúcar quanto para o etanol.

O engenheiro agrônomo vai mostrar experiências utilizando técnicas de ciclagem de resíduos na palestra “Manejo da fertilidade do solo para melhoria da produtividade das plantas" que ministrará no dia 19 de outubro, às 19h30. Ele participará da 10ª Semana de Agronomia da Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirao Preto (AEAARP), que acontecerá de 18 a 20 de outubro com palestras com foco em tecnologias e planejamento para aumentar a produtividade no campo.

Fonte: Brasil Agro

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3