Produção de briquetes e peletes é grande oportunidade para a biomassa da cana em períodos de baixa nos preços da energia

Além de atender ao mercado interno, esses produtos têm grande potencial para exportação, podendo ser utilizados para geração de energia, tanto para aplicação em residências quanto em indústrias e estabelecimentos comerciais
Empresas privadas e instituições de pesquisa têm procurado aumentar suas visões de negócios possíveis a partir da biomassa da cana-de-açúcar, explorando os possíveis novos usos para o material.
O chefe-adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa Agroenergia, Guy de Capdeville, afirma que umas das opções seria a produção briquetes e péletes (pellets), produtos de elevado adensamento energético, obtidos por meio de processos termo físicos que garantem o adensamento energético de uma dada biomassa para sua posterior utilização na produção de energia. Uma das possíveis utilizações dessa tecnologia é na calefação de residências. Outra grande oportunidade é agir como substituta da lenha em indústrias e estabelecimentos comerciais, como olarias, padarias, pizzarias, indústrias químicas, têxteis e de cimento.
Além de ser produtos com forte apelo ambiental, uma vez que são fontes de energia renovável, contribuindo, assim, para diminuir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera, os briquetes e péletes também são viáveis economicamente, pois, além de atender ao mercado interno, eles têm grande potencial de exportação, uma vez que os países europeus têm demandado cada vez mais esse tipo de biocombustível produzido a partir de biomassa e, nos últimos anos, também países asiáticos, como Japão e Coreia do Sul, têm aumentado o consumo.
Segundo a Embrapa Agroenergia, os briquetes podem ser preparados em diferentes formatos e tamanhos, de acordo com o tipo de compactadora utilizada. O mesmo se aplica para os péletes, especialmente na área alimentícia, em que os formatos são bastante variados. No entanto, as dimensões são justamente a maior diferença entre os briquetes e os péletes. Estes, normalmente, têm diâmetro entre 6 e 16 mm e comprimento de 25 a 30 mm, enquanto aqueles têm diâmetro entre 50 e 100 mm e comprimento entre 250 a 400 mm. Além de gerarem produtos com poder calorífico maior do que o da lenha, a briquetagem e a peletização apresentam como vantagens a agregação de valor à biomassa, a uniformidade de tamanho e formato dos produtos, a facilidade de armazenamento e a segurança contra incêndios.

Fonte: CanaOnline

Rua Caraguatatuba, 4.000 Bloco 2 / CEP 14078-548 / JD Joquei Clube / Ribeirão Preto / SP

16 3626-0029 / 3626-0241 / contato@assovale.com.br

Criação de sites GS3